Alumni em destaque: Paulo Campos

Engenheiro, que concluiu o mestrado na Escola Politécnica, foi selecionado para uma bolsa de doutorado num Projeto na Europa chamado ProTechTion

 

Paulo foi um dos 15 aprovados para desenvolver suas pesquisas de pós em universidades da Europa, por meio de um programa chamado ProTechTion. Ele estudará na Universidade de Swansea (Reino Unido), onde está atualmente, e também na Universidade Politécnica da Catalunha (Espanha). Este projeto, explica o pesquisador, é do tipo Marie Skłodowska-Curie Actions (MSCA), Innovative Training Networks (ITN) e European Joint Doctorate (EJD), e é financiado pela “European Union’s EU Framework Programme for Research and Innovation Horizon 2020 under Grant Agreement No 764636”.

A seguir, o próprio ex-aluno explica melhor como funciona o projeto:

“ProTechTion significa “Industrial decision-making on complex PROduction TECHnologies supported by simulaTION-based engineering” que, basicamente, refere-se à tomada de decisão na produção de tecnologias complexas no setor industrial, suportada por engenharia baseada em simulação computacional.

O objetivo abrangente do programa ProTechTion é aproveitar todo o potencial da engenharia baseada em simulação computacional, em um contexto multidisciplinar, nos ambientes industriais envolvidos na produção de processos complexos. Para esse propósito, o projeto irá formar uma rede de pesquisa e educação multidisciplinar, unindo disciplinas e interessados relevantes para (1) desenvolver novos paradigmas computacionais, (2) treinar uma nova geração de pesquisadores em início de carreira no estado-da-arte em engenharia baseada em simulação e habilidades interdisciplinares, e (3) preencher o “gap” existente na transferência de conhecimento entre indústria e academia em engenharia baseada em simulação multidisciplinar.

O programa de doutorado ProTechTion visa treinar 15 pesquisadores em início de carreira para se tornarem excelentes e versáteis pesquisadores no campo de simulações computacionais multi-físicas. O processo seletivo se deu por meio de uma chamada internacional no ano de 2018, coordenada pelo Laboratori De Calcul Numeric (LaCaN) & Centre Internacional De Metodes Numerics En Enginyeria (CIMNE). Além dos coordenadores (baseados na Espanha), fazem parte do consórcio as seguintes instituições acadêmicas: Universitat Politècnica de Catalunya (Espanha), École Centrale De Nantes (França), Instituto Superior Técnico (Portugal), Computational Mechanics and Advanced Material Group Università di Pavia (Itália), Swansea University (Reino Unido), Technische Universität München (Alemanha), Technische Universiteit Eindhoven (Holanda) e Université libre de Bruxelles (Bélgica). Entre as empresas associadas, estão: 3NTR srl (Itália), Alto (Portugal), CADFEM (Alemanha), Dolphin Fluidics srl (Itália), ESI-Group (Reino Unido), Hilti (Alemanha), Numeca International (França), Océ-Technologies B.V. (Holanda), Seat (Espanha), SONACA (Bélgica) e World Sensing (Espanha).”

 

Na foto a seguir, os ingressantes do doutorado no projeto a partir deste ano de 2019.

O brasileiro aprovado no programa de bolsa de doutorado na Europa, Paulo Roberto Refachinho de Campos é o quarto na foto, da direita para a esquerda.

 

Seu mestrado na Poli-USP foi na Engenharia Civil, onde foi aprovado em setembro de 2018. Em entrevista, perguntado sobre a base que essa etapa da pós-graduação na Universidade de São Paulo lhe ofereceu para conseguir o ingresso no doutorado no exterior, ele explicou:

“No meu mestrado eu estudei e desenvolvi formulações para simulação computacional de sistemas multicorpos (corpos rígidos e/ou deformáveis interconectados), envolvendo interações de contato. O objetivo do projeto de mestrado foi o de desenvolver ferramentas computacionais a serem aplicadas no estudo de sistemas ferroviários (interação roda-trilho), visando, por exemplo, otimização de perfis de roda e trilho e como consequência redução de custos e aumento de segurança em operações ferroviárias. Eu tive a oportunidade de ser orientado pelo Prof. Dr. Alfredo Gay Neto, e a forma como ele conduziu a orientação foi fator chave para que eu fosse selecionado posteriormente no programa de doutorado. Além da parte teórica e conceitual, eu pude desenvolver habilidades de escrita acadêmica e apresentação, e os trabalhos publicados durante esse período contabilizaram pontos extras no processo seletivo do programa ProTechTion. Agora no doutorado, eu estou trabalhando no desenvolvimento de novas técnicas de simulação utilizando o método chamado “Smoothed Particle Hydrodynamics” (SPH), o objetivo é melhorar as técnicas de SPH existentes, eliminando algumas de suas principais limitações e incluindo a capacidade de simular fratura e fragmentação em cenários de impacto de alta velocidade. O campo de aplicações é vasto, podendo incluir desde estudos de balística e impacto de pássaros em aeronaves até aplicações na área médica como por exemplo a melhoria dos equipamentos utilizados no tratamento de cálculo renal por ondas de choque (litotripsia extracorpórea).”

O ex-aluno de mestrado da USP também demonstrou gratidão à sua graduação numa universidade particular da cidade de São Paulo, e ao quadro de professores dela.

 

Quanto ao programa de doutorado, você conseguiu a bolsa para todo o período? Como o ex-aluno de mestrado da USP pode pleitear uma vaga para pesquisar no exterior?

“Os custos de um curso de doutorado na Europa variam muito entre os diferentes países, podendo ser desde apenas valores simbólicos para cobrir taxas administrativas da Universidade até exorbitantes £20~25k/ano (R$100~125 mil/ano) no Reino Unido.” Comenta o ex-aluno. “Também é importante levar em conta o custo de vida no país/cidade escolhido para estudar. Porém, a boa notícia é que existem muitos programas como o ProTechTion que viabilizam isso a custo zero para o estudante. Esse tipo de programa cobre todos os custos do curso, geralmente oferecem um auxílio mobilidade, além da bolsa de estudo ou até mesmo salário compatível com o de um pesquisador em início de carreira. O projeto ProTechTion é um projeto Marie Skłodowska-Curie actions, e essa agência oferece oportunidades para todos estágios da carreira de um pesquisador e novas chamadas são abertas durante todo o ano, é sempre bom manter um olho no site da agência.”

Ele prossegue com as dicas: “Em linhas gerais, os pré-requisitos para um programa desse tipo são cursos de graduação e mestrado e proficiência no idioma inglês. Para quem tem interesse nesse tipo de oportunidade, é sempre bom já se adiantar e ter pronto traduções juramentadas para o idioma inglês de diplomas e histórico escolar, e exame internacional de inglês (IELTS ou TOEFL por exemplo), realizado há no máximo 2 anos. É claro que esses são apenas os pré-requisitos mínimos e é importante contar com atividades extracurriculares como estágios, projetos de iniciação científica, participação/apresentação em eventos científicos (workshops, congressos e conferências), se possível escrever o trabalho de conclusão de curso da graduação e a dissertação de mestrado no idioma inglês (essa ideia pode parecer assustadora num primeiro momento, porém é a melhor forma de melhorar a proficiência no idioma e começar a criar uma exposição internacional do seu trabalho) e durante o mestrado é sempre recomendado que se coloque um esforço adicional que resulte em uma publicação em periódico internacional. Trabalhar nesse tipo de coisa e manter tudo isso atualizado em um currículo bem elaborado em inglês é o primeiro passo. Feito isso, basta ficar atento às oportunidades (que infelizmente são pouco divulgadas no Brasil) e se inscrever quando encontrar uma que te inspire motivação!”

Texto: Rodrigo Rosa