Da USP para o universo empreendedor

Evento realizado na FEA trouxe três ex-alunos USP para compartilharem suas experiências sobre abrir suas próprias empresas

Faça parte desta rede de ex-alunos! Clique aqui para se cadastrar!

Foi na sala da Congregação da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, lotada, para um público jovem, que três ex-alunos da própria FEA e também da Escola Politécnica, apresentaram uma palestra sobre como é escolher entrar no mercado de trabalho abrindo a sua própria empresa. O evento ocorreu no final de agosto.

Evento: “Da USP para o universo empreendedor”

Enquanto estavam em suas graduações ou logo após concluí-las, os três estavam começando a adquirir alguma experiência em ramos mais tradicionais da administração, como consultoria, o que não veem problema com quem prefere este caminho, conforme eles comentaram, mas logo perceberam que não era por aí que queriam seguir. As estatísticas indicam que é melhor não demorar muito mesmo após graduados, pois, conforme frisou um dos palestrantes, Eduardo Baer, a maioria dos empreendedores resolve seguir por este caminho do chamado empreendedorismo ainda antes dos trinta anos de idade. Depois disso, ele opina, fica mais difícil para alguém deixar sua carreira e investir em um negócio próprio.

Foi contando sobre essa experiência e essas escolhas que foram feitas ainda quando jovens, que os ex-alunos apresentaram sua palestra no evento “Da USP para o universo empreendedor”, organizada pela ONG da área de educação “Ensina Brasil”.

Os ex-alunos USP, Erica Butow, formada em Adminsitração na FEA-USP, Eduardo Baer no mesmo curso e época (anos 2000) e Joice Toyota, formada em Engenharia da Computação na Poli-USP, também nos anos 2000, resolveram então deixar seus empregos em áreas, como eles mesmos disseram, mais tradicionais, para trilharem um caminho empreendedor. Dos maiores desafios no início, como contaram, é justamente trocar um emprego estável por um empreendimento que ainda não era certo, e convencer a sua família de que aquilo pode ser uma boa ideia.

Responderam perguntas propostas pela organização do evento, em que contaram como foi chegar até o ponto que eles estão nas suas carreiras; também comentaram sobre quais foram os principais desafios enfrentados no começo e quais são as perspectivas para o futuro. Depois, abriu-se para perguntas da plateia.

Eduardo Baer, um dos fundadores de um agora famoso aplicativo de delivery de comida, conta que naquele aplicativo ele teve mais méritos na sua criação, e não teve tanta participação em relação ao seu crescimento, pois quando saiu, a empresa tinha ainda poucos funcionários. Mas foi na tentativa e erro, inclusive no fechamento de algumas empresas, que ele persistiu e agora administra um serviço que gerencia o cuidado ou o passeio de cachorros, por pessoas que se ofereceram a outras pessoas que precisam se ausentar, como para viagens, e querem deixar o cachorro sob os cuidados de alguém. Eduardo teve a ideia do aplicativo com um colega que conheceu quando ambos faziam uma pós no exterior, quando ele, ao voltar ao Brasil, pretendia adotar um cachorro, mas não tinha com quem deixar o pet quando se ausentasse, o que poderia ser um problema.

Érica Butow, uma das fundadoras do projeto “Ensina Brasil”, uma ONG de educação que organiza jovens para que eles possam ir a escolas vulneráveis ao redor do Brasil, pelo período de dois anos, para dar aulas/ tutorias/ mentorias para os alunos locais. Esses jovens tutores são remunerados pelo projeto. Érica comenta que é desafiador e estimulante poder encontrar jovens dispostos a ir para regiões remotas no país, distantes de onde eles nasceram e moram, pois, acredita, a causa e o objetivo são de grande valor para o desenvolvimento do país, ou seja, investir na educação daqueles alunos.

Por fim, a plateia assistiu à palestra de Joice Toyota, uma das fundadoras do “Vetor Brasil”. Ela comentou sobre esta sua organização sem fins lucrativos que atua junto ao setor público. Eles buscam criar parcerias com os governos estaduais e municipais – independente do partido, ela conta – uma rede entre os servidores, a fim de potencializar aquela gestão, melhorando a qualidade dos serviços oferecidos.

Texto e foto: Rodrigo Rosa